quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Testículo

Quadrilha

Vartan Melikian
www.cronicaeaguda.blogspot.com

Para dar um pouco de estética à temporada feia em que estamos passando, segue um momento poético. Senhoras e senhores, com vocês uma releitura do poema Quadrilha de Carlos Drummond de Andrade:

Calheiros abandonou Collor,
Que maldizia Sarney,
Que nunca foi companheiro de Lula,
Que perseguia os 300 picaretas,
Que adoravam messalinas* e mensalões,
Bancados pelo governo,
Que tinham campanhas financiadas pelos banqueiros,
Que amavam a política econômica do PSDB,
Que era exorcizada pelo PT

***

20 anos depois:

O PT imitou a política econômica do PSDB,
E agora é amado pelos banqueiros,
Que financiam campanhas para o governo,
Que bancam messalinas e mensalões,
Que são adorados pelos 300 picaretas,
Protegidos por Lula,
Que é companheiro de Sarney,
Que tem o apoio de Collor,
Que recebe a ajuda de Calheiros.
A única coisa que consigo entender desse poema é o título: Quadrilha.

***
Nota: De acordo com minhas profundas pesquisas (leia-se: Wikipedia), Valéria Messalina, mulher que deu origem a expressão, era filha de um aristocrata chamado Marco Valério. Nunca foi tão fácil ligar o nome a pessoa.

Nenhum comentário: