quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Outro testículo

No tribunal
Paulo Dodô


Em uma audiência no tribunal, o réu é acusado por falsificação de documentos.

- Então o senhor produz carteiras de estudante falsificadas?
- É, não tenho como negar.
- Excelência!
- Ah, obrigado. Mas não precisa disso. Sou uma pessoa simples.
- Não! Você tem que me chamar de Excelência!
- Ah, sim, Excelência.
- Você tem ciência de que cometeu um crime?
- Sim.
- Que está ganhando com algo que é ilegal?
- Excelência, na verdade eu não ganho nada. Eu faço pros amigos, que não me pagam nada.
- Não te pagam? Onde você faz as carteiras?
- Não. Eu faço em casa mesmo.
- Mesmo assim é crime! A lei de falsificação de documentos, da complementar, do Código Penal, nas instâncias do Supremo, nos autos do processo, com posse e flagrante delito...
- Cacete...essa mulher vai engasgar...
- Como é?
- Pode prosseguir...Excelência.
- Como eu proferia: o parágrafo 3º, do inciso 7º, do artigo 8º, do ensejo 4º...
- Agora parece uma ascensorista...
- O que o senhor cochicha?
- A minha ignorância em leis, Excelência.
- Pois é...mas fique calado enquanto eu falo.
- Tudo bem.
- Diante de toda a legislação citada, data venia que o réu é primário e não obteve benefícios financeiros, sentencio-o ao pagamento de 20 cestas básicas. O senhor está ciente da pena?
- É uma pena, mas estou.
- Como?
- Estou, Excelência!
- A sessão está encerrada.


Na saída da sala de audiência...

- Ei? Rapaz?
- Sim, Excelência?
- Não. Não precisa me chamar assim. Você faz essas carteiras em casa?
- Sim. Quer dizer, fazia!
- Você faz rápido?
- Fazia. É pegadinha isso?
- É que minha filha acabou a faculdade e tem um show caro pra ir...dá pra fazer uma pra ela?
- Não dá. É crime.
- Se você não fizer, aumento a sua sentença!
- Aí é ameaça. Crime também. Sabia que posso te processar?

2 comentários:

Anônimo disse...

ahah. sou se fã de carteirinha
abs,
Vartan

rapha. disse...

Muito bom! Um retrato da nossa sociedade atual (retrato 3x4 pra sair na carteirinha...)