quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Testículo

Hipocondríacos

Vartan Melikian
www.cronicaeaguda.blogspot.com

Um dos mais complicados sintomas da gripe suína é o aparecimento em massa dos hipocondríacos, esses profetas com especialidade em doença. E o que torna difícil combatê-los é o pressuposto equivocado de que eles têm medo de ficar doente. Os hipocondríacos torcem pela doença. Como qualquer outro profeta, eles querem que suas previsões, por mais nefastas que sejam, se concretizem. Só pelo simples prazer de pronunciar a frase redentora: “Eu avisei”.

Graças (?) a um tio, diagnostiquei a farsa hipocondríaca cedo. Devia ter uns 10, 12 anos. Havia acabado de jogar futebol e fui pegar água. Um fato corriqueiro? Não para o hipocondríaco. Eles atacam quando a gente menos espera.

- Não abra a geladeira suado desse jeito, menino! Pode pegar um resfriado, que vira uma gripe, que se transforma numa pneumonia e depois, ai meu Deus, numa tuberculose.

Perdi a sede. Mas fiz gargarejo com a água gelada só para provocar. A partir desse dia, meu tio vibra até hoje quando dou um espirrozinho.

É o tipo de gente que se mostra amiga para, em seguida, te humilhar. Já experimentou dizer que está com dor de cabeça perto de um deles?

- Tenho analgésicos aqui. Alguns. Alguns não! Muitos.
- Você me arruma um dorflex?
- Tem certeza? Isso comigo não faz nem cosquinha... Mas já que você prefere...Tá aqui ó.

E assim você fica se sentindo um frouxo, achando que aquela sua dor de cabeça é só frescura, porque o sujeito, coitado, sofre de crises e crises de enxaqueca. E que a sua dor...ah, a sua dor deveria ser mais forte ainda. Até você se dar conta da armadilha. Se o dorflex não serve pra ele, por que então carrega um na bolsa? Isso mesmo. Apenas para te rebaixar!

Temos que identificar os hipocondríacos! Eles parecem ter um olhar superior (dizem que é o efeito benéfico do glaucoma e por isso são os únicos capazes de enxergar os inimigos que nos ameaçam, como micróbios e vírus). Tive uma namorada que todas as vezes que nos beijávamos, ela lembrava que havíamos trocados 250 bactérias. Não preciso dizer que a noite de sexo foi um fracasso. Bem... Foi mais saudável assim.

Para ficarmos vacinados contra eles, deixo a minha contribuição: um perfil de um dos maiores hipocondríacos do Brasil. Por e-mail (ele achou melhor nessa época de gripe suína evitar o contato), ele revelou algumas de suas preferências que nos ajudam entender como pensam.

Nome: Thomas Chagas
Profissão: médico ama-dor
O que lê no momento: A bula do Tamiflu.
Música: O pulso, dos titãs. Uma obra-prima.
Melhor filme: Nenhuma produção ainda superou Psicose.
Signo: Câncer
Pior filme: Cantando na Chuva. Chega a dar arrepios.
Animal de estimação: Condor
Local preferido para fazer amor: Uma maca
Cor preferida: Amarelo (pálido)
O que costuma falar depois do sexo: Foi ótimo! Chegou a me dar taquicardia.
Time de futebol: Agora sou porco! Palmeirense doente!
Vício: Álcool (em gel). Estou consumindo sem moderação.
Uma frase: “É melhor prevenir. Mas remediar também tem as suas vantagens”
Pode ser impressão minha, mas depois que recebi o e-mail dele com as respostas, não é que meu computador ficou meio esquisito. Será que entrou vírus?

Nenhum comentário: