sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Testículos / Diálogos

Dar cabo do caixão
O nome do bebê
Oito números
Otimização
Viagem

Número 19 - 1ª edição de janeiro

Cabeçalho reflete sentimento do Desenfado: estamos bolados
Estamos no segundo ano do Desenfado!
Não acreditamos que conseguimos nos aturar e que nosso seis leitores se mantiveram firmes e suportaram nossos textos e piadas. Refletimos muito sobre o que poderíamos fazer para registrar a virada do ano e a continuidade do jornal, mas, sinceramente, não pensamos em porra nenhuma!
Por isso, um cabeçalho tosco no e-mail de envio só pra não passar em branco e preto, como de costume. Sim, sabemos que ele está totalmente ridículo e juramos que isso não voltará a acontecer. Bem,talvez uma vez ou outra...
Você também pode pedir as versões eletrônicas anteriores pelo e-mail odesenfado@gmail.com.
Boa leitura! (boa?)

Equipe O Desenfado

Penso, logo Twitto


O Desenfado está no Twitter! Com atraso, é claro!Apesar de já termos publicado que não entraríamos na rede social, por falta de criatividade para escrever os longos 140 caracteres, resolvemos seguir essa frase de alguém que não sabemos quem é, porque não tivemos saco de pesquisar, “Quem não muda de opinião não é seguro, mas sim, burro.”
Ouvimos muita gente chamando nossa equipe de imbecil e burra e estamos fazendo de tudo pra isso mudar, inclusive simpatia, suborno e twitter.Agora, nossos seis leitores podem acessar www.twitter.com/odesenfado e acompanhar nossas atualizações mensais ou anuais.
Raphael Santos

Testículo

Novos tempos

Vartan Melikian



A primeira década do milênio chega ao fim e algumas previsões ainda não se confirmaram. A família Jetson tem menos de uma semana para se redimir e aparecer com um daqueles carros voadores, de preferência, com isenção de IPI.
Quando vi pela primeira vez uma esteira rolante, acreditei que o futuro, como os Jetson anunciavam, estaria próximo. Já imaginava o meu golzinho mil (que Deus e os ladrões que o levaram o tenham) alçando voo. Mas alguma coisa deu errado. Talvez por dispensar esforço, as esteiras deixaram os cientistas mais preguiçosos e o carro voador não passou de ficção.
Agora imaginem o tele transporte, que acabará com a distância no mundo, com parte das emissões de CO2 e com a desculpa de chegar mais tarde em casa por causa do engarrafamento. A invenção mais esperada de todos os tempos, pelo andar da carruagem (pois é, não existem carros voadores, lembram?), deve demorar não sei quantos anos para virar realidade. Só falta isso acontecer no dia em que eu me aposentar, quando provavelmente não vou mais precisar enfrentar o trânsito. Mas por questão de honra, anotem: mesmo que subaproveitado, o tele transporte será utilizado por mim. Nem que seja para ir ao bingo.
Enquanto todos tentavam imaginar cenários fantásticos, ninguém previu os acontecimentos que realmente indicariam um novo tempo. Hoje quem fala merda no Brasil é aplaudido na Dinamarca. O craque do nosso campeonato nacional, eleito pela torcida brasileira, é um....Argentino (Conca). E a pizza se transformou em panetone.
Por falar em Brasília, Renato Russo já vinha avisando desde o século passado que o futuro não é mais como era antigamente. E se poesia é para ser entendida como quiser, eu entendo da seguinte da forma: 2001, uma odisséia no espaço passou do prazo da validade há nove anos. Não serão mais as invenções tecnológicas que ditarão o cenário do terceiro milênio. Será a natureza com suas condições climáticas. Como era no passado. Esse é o futuro.
Bem, mas tudo isso é só mais uma previsão.

Outro testículo

Que belo Dia dos namorados...
Paulo Dodô

7h30. Viro na cama e vejo a Vilma, minha mulher. Nome engraçado, né? É um daqueles nomes de pessoas que a gente só consegue pensar como idosas. Sabe aqueles do tipo Ruth, Zilda, Ubaldo, Horácio etc. Pois é, não dá pra imaginar que já foram crianças. Desculpas a quem tem ou conhece alguém com esses nomes. Não tive a intenção de ofender ninguém. Os pais já se encarregaram disso...
Eu e Vilma estamos juntos há oito anos e nos conhecemos numa festa à fantasia no Dia dos Namorados. A Vilma, sem muita originalidade, foi vestida de Vilma dos Flinstones. Eu, que me chamo Cristóvão (tá bom, concordo que meu nome está naquela lista...) fui fantasiado de Fred. Seria o destino agindo de forma perfeita, certo? Errado! Além de mim, havia dezenas de Freds e todos foram falar com ela. Uma a uma, as investidas foram negadas.
Eu tinha que ter uma cantada diferente de mim, quer dizer dos Freds. Tentei pensar em algo engraçado, mas não consegui e desisti. Ela dizendo não pra todo mundo e eu dizendo sim pra todo copo de cerveja que passava. Não podia dar certo. Resolvi ir embora. Aí, ouvi: “Fred, não vai levar a Vilma pra casa?” Surpresa total! Era ela!
Daí, oito anos juntos. Mas a paixão do começo foi esfriando. Hoje, também Dia dos Namorados, eu precisava fazer com que o nosso amor voltasse. Levantei da cama, tomei banho e fui trabalhar. Parei para tomar um café no boteco da esquina. Pedi uma média e um pão na chapa. O pão estava ótimo. A média, média.
Super original, comprei um livro de presente na livraria em que trabalho. Para compensar a pouca criatividade, decidi fazer uma doideira: arrumar as malas e viajar com ela por uns dois ou três dias! Isso ia fazer com que a gente voltasse ao que era! Mas antes, passei numa loja e comprei uma fantasia de Fred. Ela ia adorar! Ia rir muito!
Cheguei em casa e ela estava no quarto. Vesti a fantasia e entrei correndo. Pra minha surpresa, não estava sozinha e tampouco vestida. Na cama, nua, Vilma me olhava e procurava o meu olhar. Eu, atônito, não consegui olhar pra ela. Não por raiva, medo ou vergonha. Eu estava ocupado olhando pra quem dividia a cama com ela. Juntas, nuas e constrangidas: a minha Vilma e a Beth dela, sua manicure.

Veja porque não devemos confiar no flanelinha...




“Vem! Vem mais. Vem. Ih! Para! Para!”







"Doutor, vou ficar de olho que o lugar aqui é deserto."





"Vou dar uma lavada nele, chefia. Vai ficar uma beleza."








"Aqui tá legal. Pode curtir a praia tranquilo!

Maguila bate em segurança ao tentar invadir piscina e Fantástico faz matéria para amenizar incidente com o boxeador cantor

É um bela causa, apesar de uma péssima voz. Maguila virou cantor de samba para ajudar uma instituição de crianças carentes.
Coincidentemente, o Fantástico resolveu fazer uma matéria com ele e alguns bambas do samba, dias após ao incidente em que ele tentou invadir uma piscina e, ao ser impedido por um segurança, meteu a porrada no sujeito.
A iniciativa do Fantástico é típica da Globo que adora chamar seus artistas e queridinhos que fazem besteira para puxar o saco em programas como o Fautão, Ana Maria e Xuxa.
Não sei o que você acha, caro leitor, mas o Maguila parace estar superbem pra voltar a lutar. Como ele tá másculo e forte...

STJoça só pode estar de sacanagem

Não dá para acreditar na atuação do STJoça.
Liberaram o Daniel Dantas, suspenderam o processo de lavagem de dinheiro da Camargo Correa e fazem o Sanctis parecer um cara que trabalha e morre na praia.
Afinal de contas, quem é cego: a justiça ou os ministros?