sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Entrevista com Fernando Caruso

O Caruso é uma graça. Sim, esta é uma frase pouco original. Não, ela não denota a opção sexual da maioria da nossa Redação. Só da minoria.

Humorista, ator, publicitário, diretor, músico, autor e professor de teatro, Fernando “de Oliveira” Caruso cometeu a insanidade de conceder uma entrevista pro Desenfado.

Como o cara é fera no humor, aproveite: provavelmente este é o nosso primeiro (e único) texto engraçado.

São 12 anos de estudo no Tablado, que o levaram a trabalhar como professor assistente (7 anos) e contribuíram para a sua carreira no meio artístico, que inclui 15 peças no currículo. Ele é um dos criadores e atores do espetáculo de improvisação Z.É. Zenas Emprovisadas (em cartaz no Vivo Rio), sucesso de público que já ganhou o prêmio Shell de Teatro (2004), além de integrante do Comédia em Pé, show de comédia stand up.

Segundo o site do ZÉ, se tivesse que escolher uma celebridade pra comer, Caruso optaria pelo Hitler e não traçaria a Gisele Bündchen “só de sacanagem”.

Bem, para um cara que se pudesse fazer uma pergunta a Deus diria “O que é que você está fazendo na minha cadeira?”, responder as nossas deve ter sido um verdadeiro sacrilégio, de tão ruins.

Bem, vamos lá.

O Desenfado - Você sempre foi uma pessoa brincalhona? Desde criança?

Caruso - Acho que sim.

O Desenfado - A idéia da improvisação com amigos no início para poucas pessoas e o sucesso de agora já era certo na sua cabeça? Ou você teve que convencer muita gente?

Caruso - Tive que convencer muita gente. Eu estava na época, sem saber, desbravando um território completamente novo, que posteriormente veio abrir caminho para vários outros grupos.


O Desenfado - Você se sente obrigado a ser engraçado sempre? As pessoas acham que você tem que ser engraçado sempre?

Caruso - Não, nem sempre. Durante o sexo, normalmente, as pessoas esperam um pouco de seriedade da minha parte, por exemplo.

O Desenfado - O que você sente quando alguém ri de uma piada feita por você?

Caruso - Satisfação profissional.

O Desenfado - Você acha que dá pra fazer humor com qualquer assunto?

Caruso - Acho que sim. Obviamente, alguns assuntos são mais receptíveis que outros, mas, se você se esforçar, queimar a mufa, você consegue desenvolver uma piada com virtualmente qualquer assunto. Menos números primos.

O Desenfado - Se você fosse transar com uma mulher e ao ficar nu ela começasse a rir, você ficaria chateado ou feliz por ter arrancado um sorriso dela?

Caruso - Essa é a pergunta mais imbecil que já me fizeram em toda a minha vida.




Até agora estamos pensando se levamos um fora ou se fomos elogiados na última resposta. Somos otimistas...


Parte (um pouco) mais séria

Na televisão, Caruso trabalhou no “Correndo Atrás”, “Brava Gente” e as “Cariocas” e também participou dos programas “Zorra Total e “Os Normais”, além das novelas “O Clone” e “Malhação” (todos da Globo). Ela ainda apresentou o “Minha Praia” e agora está no “De Cara Limpa”, “Ed Mort” e “Muito Giro” (Multishow/Net). Sobre o cinema, fez “Irma Vap” e não citamos mais porque enchemos o saco e não pesquisamos. Quer saber mais? Segue a dica de um site de buscas lançado recentemente www.google.com.br.




Tiro Esportivo: Ana Luíza Ferrão ganha ouro no Pan. Pistoleiras com nome de fruta se animam e treinam para as Olimíadas 2016.


O que isso tem de bizarro?