terça-feira, 24 de abril de 2012

Deu no New York Times


Por Hugo Stozin

Revelado o real motivo da ascensão meteórica na carreira de funcionária do jornal New York Times.

Sarah Legsopen, que já produziu matérias no Brasil, chamava a atenção dos colegas de trabalho pela rapidez com que conseguiu obter promoções no jornal. Em apenas dois anos, passou de estagiária para trainee, depois para repórter, editora e chefe do Núcleo de Reportagem.

No New York Times, despertou a curiosidade de uns e a inveja de outros. Um grupo de jornalistas, insatisfeito com a falta de reconhecimento, apurou os fatos e realizou uma investigação jornalística interna. Em poucos dias, descobriram que Legsopen havia transado com todos os chefes, incluindo mulheres, desde sua entrada na empresa. Coincidentemente, as datas dos plantões noturnos da chefe de Reportagem eram as anteriores às promoções.

Apesar da polêmica, a jornalista não foi demitida após a revelação do caso ao presidente do jornal. Estranhamente, ele parece não se importar com o fato de ela ter dado no New York Times e tem se reunido constantemente a portas fechadas para discutir o assunto com Legsopen. O assunto não é comentado externamente.

Sarah esteve no Brasil para fazer algumas reportagens sobre o cantor Jorge Benjor.











Nenhum comentário: